Sexta, 28 de abril de 2017
Logo

Acesso ao Painel

cadastre-se | esqueci minha senha

  • Leitura
    A A
  • Imprimir
  • Indique nosso site

O exercício físico e seu benefício para o idoso

A cada dia que passa, mais enraizado se torna o conceito de que o exercício físico melhora a qualidade de vida dos indivíduos. Tal afirmação é uma verdade, quando nos referimos à melhora da função respiratória, ao melhor desenvolvimento da musculatura cardíaca, à melhor metabolização do colesterol, à maior liberação de endorfinas e à melhora na massa muscular.

Uma pergunta que todos os indivíduos devem ter sempre em mente é: Qual o exercício ideal para o meu caso?

Esta é, sem dúvidas, uma pergunta que deve ser feita sempre a um médico especialista, preocupado com as características clínicas e morfológicas do futuro atleta ou do idoso.

Enquanto que para o jovem são poucas as limitações que se impõem, no caso específico dos idosos, alguns outros aspectos devem ser sempre analisados.

Como regra, os esportes de contato devem ser evitados, para os mais obesos e mais idosos, devido ao risco ósseo, articular e muscular.

Exercícios realizados em piscinas como natação, hidroginástica e hidroterapia, por serem efetuados dentro da água diminuem a sobrecarga articular e fortalecem a musculatura, além de possuírem alto nível de socialização, como no caso da hidroginástica.

Caminhar, sempre, com bons calçados que amorteçam os impactos, em pisos retos, e sem forçar em subidas e descidas, via de regra, não possuem contra indicação. O mesmo podemos falar sobre o caminhar à beira d'água, quando, ocorrerá como um ganho extra, o fortalecimento da musculatura de coxa.

Quanto à musculação, exercício que cada vez mais é indicado, este sempre deverá ser feito sob supervisão de técnico especializado, respeitando-se sempre, os eixos de movimentação e, sendo os exercícios efetuados com baixa carga, número crescente de repetições, sem impactos e com amplitude de movimento adequada para cada pessoa.

Deve-se sempre, ser feita uma avaliação prévia no idoso onde, dever-se- á indicar os riscos e as limitações individuais para cada caso. Deve-se também, sempre ser lembrado aos idosos que, as limitações aumentam com a idade e que o entendimento desta regra, com certeza, será de grande benefício.

O acompanhamento de ganho de massa magra e perda de massa gorda poderá ser sempre quantificado por meio de uma Bioimpedânciometria.

Faça sempre exercícios regulares e sob a orientação de técnicos gabaritados.

Utilize roupas e calçados adequados

Faça alongamentos sempre antes de iniciar seus exercícios e, principalmente, pergunte ao seu médico especialista qual o melhor exercício no seu caso específico.

Dr. Antonio Carlos Novaes
Reumatologista - Assistente Estrangeiro da Fac. de Med. de Paris