Segunda, 23 de outubro de 2017
Logo

Acesso ao Painel

cadastre-se | esqueci minha senha

  • Leitura
    A A
  • Imprimir
  • Indique nosso site

O que se entende por Condroproteção

Todos nós já sabemos que o aparecimento da OSTEOARTROSE e, com isso, a perda da integridade da cartilagem articular , depende do equilíbrio entre os fatores formadores e os degradadores da cartilagem, que são mediados pela células denominadas CONDRÓCITOS.

Qualquer atitude tomada no sentido de minimizar o estado degradativo da articulação pode ser considerada uma medida CONDROPROTETORA. Assim sendo, medidas de ordem gerais como: perder peso, evitar macro traumatismos e micro traumatismos de repetição, fazer controle hormonal, praticar exercícios periódicos e suaves, amenizar desvios posturais, quer cirurgicamente, quer com o uso de órteses, ter uma boa ingesta protéica etc., podem ser consideradas medidas CONDROPROTETORAS pois, todas elas visam diminuir o stress sobre a cartilagem articular e facilitar a sua reparação.

Do ponto de vista medicamentoso, amplo arsenal terapêutico já existe, no sentido de aliviar os efeitos dolorosos da OSTEOARTROSE em sua fase inflamatória, diminuindo, também, a produção de enzimas proteolíticas (substâncias químicas) que, quando presentes e em atividade, aumentam o estado degradativo articular.

Atualmente, já existem no mercado inúmeras substâncias químicas com finalidade Condroprotetora, bem como Suplementos Protéicos Nutricionais que poderiam ser consideradas substâncias com finalidade Condroprotetora.

No caso do SULFATO DE GLICOSAMINA, esta substância é vendida livremente nos Estados Unidos, como uma substância alimentar SADOA (SLOW ACTING DRUGS for TREATMENT of OSTEOARTHRITIS - DROGA DE AÇÃO LENTA PARA O TRATAMENTO DA OSTEOARTROSE).

Resumidamente , poderíamos dizer que: qualquer medida que vise alterar a curva de evolução da OSTEOARTROSE, deve ser considerada uma medida de CONDROPROTEÇÃO podendo estas medidas serem de ordem geral , ou específicas.

Consulte o seu médico especialista, e se oriente no que há de melhor no seu caso.

MINIMIZAR OU EVITAR A OSTEOARTROSE É A CERTEZA DE UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA.

Dr. Antonio Carlos Novaes
Reumatologista - Assistente Estrangeiro da Fac. de Med. de Paris