Segunda, 23 de outubro de 2017
Logo

Acesso ao Painel

cadastre-se | esqueci minha senha

  • Leitura
    A A
  • Imprimir
  • Indique nosso site

Congresso Europeu de Reumatologia

EULAR 2016

LONDRES foi a cidade sede do Congresso Europeu de Reumatologia 2016, realizado no período de 08 a 11 de junho de 2016, onde mais de 15.000 (quinze mil) médicos de todo o mundo, não só especialistas em Reumatologia, estiveram reunidos para discutirem os novos rumos no tratamento das Doenças Reumatológicas.

Doenças como Osteoartrose, Osteoporose, Artrite Reumatóide, Fibromialgia, Lupus Eritematoso Sistêmico dentre outras, foram discutidas de maneira abrangente, tanto quanto ao seu diagnóstico, quanto à sua evolução e sua melhor forma de tratamento.

Foi consenso que o tratamento precoce das Doenças Reumatológicas é um fator primordial no sentido de prevenir incapacidade e melhorar a qualidade de vida.

Preocupação cada vez maior no tocante a doenças como a OSTEOARTROSE, a OSTEOPOROSE, a ARTRITE REUMATOIDE, as DOENÇAS MUSCULO ESQUELÉTICAS que estão associadas, além do patrimônio genético e ao envelhecimento populacional, a hábitos de vida incorretos (erros alimentares, obesidade, falta de atividade física etc), fazem destas doenças um grande problema de saúde pública, em virtude do seu aumento em exponencial.

Dentre as abordagens medicamentosas no tratamento da Osteoartrose, é consenso que além das medicações já em uso no Brasil como Sulfato de Glicosamina, e Sulfato de Condroitina, que em outros países são considerados apenas suplementos nutricionais, uma alimentação proteica adequada é uma excelente opção para auxiliar no processo de regeneração.

Outras substâncias e associações continuam a ser avaliadas porém, sem ainda os resultados esperados.

Para o tratamento da Osteoporose, o Ranelato de Estrôncio passou a ser uma substância cada vez mais utilizada, enquadrando-se no grupo de medicações anti-reabsortivas e também formadoras.

Estudos publicados através de biópsia por imagem têm mostrado a sua eficácia no aumento da massa óssea cortical e trabecular.

No caso da  Osteoporose, o uso de substâncias anti-reabsortivas como os Bifosfonatos continuam a ser uma opção válida sendo que, devido à possibilidade dos efeitos irritantes da mucosa esofágica, devem ser ingeridos com cautela sempre conforme prescrição de bula.

A utilização dos Bifosfonatos em dose semanal, mensal ou anual faz com que haja uma diminuição dos efeitos irritativos gastro-esofágicos.

O uso de medicações Biológicas como o DENOSUMABE, que age diretamente no aumento de massa óssea e diminuindo com isso o risco de fratura começa a ser utilizado de forma mais constante.

Foi salientado ainda a necessidade da reposição correta de Cálcio e Vitamina D, em doses efetivas, bem como uma ingesta proteica adequada, com proteínas ricas Aminoácidos de cadeias ramificadas.

Nunca tome medicamentos sem a orientação do seu especialista.

Dr. Antonio Carlos Novaes
Reumatologista- Assistente Estrangeiro da Fac. de Med. de Paris